Bem aventurados os que choram, porque eles serão consolados. (Mt. 5:4)

Não duvidamos que muitas pessoas, com sérias razões para chorar, como por exemplo, a perde de um ente querido, encontram grande conforto no verso acima e podem confirmar a verdade que há nele. Mas quando o Senhor Jesus Cristo falou sobre o choro aqui, Ele tinha outro tipo de pranto em mente: a tristeza no coração de alguém pelos maus pensamentos, palavras, atos e intenções que desonram a Deus, cometidos por quem não o conhece. Isso causou muitas dores ao próprio Senhor Jesus Cristo no tempo em que viveu no mundo. Considere os seguintes exemplos. Marcos 3 nos mostra como Jesus curou um homem cuja mão era atrofiada. Em vez de se alegrarem pelo que Ele havia feito a um “filho de Abraão”, isso serviu de pretexto aos que buscavam uma ocasião para acusá-lo. Jesus condoeu-se da dureza daquele povo (verso 5). Em Mateus 9:36 Ele “teve grande compaixão” da multidão exausta.

É comum os evangelhos relatarem os sentimentos do Senhor. Quando Ele se referiu à traição de Judas, Ele “turbou-se em espírito”(Jo. 13:21).Em Luas 19:41, Jesus chorou ao contemplar Jerusalém e pensar na iminente destruição causada pela impiedade dos habitantes daquela idade.

Esses exemplos devem nos fazer pensar se realmente estamos nos importando devidamente com as pessoas que permanecem mortas em “seus delitos e pecados” (Ef. 2:1). Ou será que apenas agradecemos a Deus por seremos “diferentes” dos demais pecadores (Lc. 18:10-14)? Se este é o seu caso, então é melhor começar a chorar pela sua própria condição agora mesmo.

CHORO PELOS PECADOS