No domingo passado votei a favor de que fechassem as portas da nossa igreja. Não de má fé nem intencionalmente, mas por descuido, preguiça, indiferença. Votei a favor de que cerrassem as suas portas, a favor de que se ponha termo à sua presença e testemunho. Votei a favor de que fechem a Bíblia no púlpito da nossa igreja. Votei a favor de que o nosso pastor para de pregar as gloriosas verdades do evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo. Votei a favor de que as histórias Bíblicas e os cânticos do amor de Deus não mais sejam ensinados às crianças da Escola Bíblica Dominical.

Pois é, eu podia ter ido à igreja domingo passado, e, devia ter ido mesmo, mas não fui. Fiquei longe, e com minha preguiça e indiferença votei a favor de que fechassem a igreja. (este texto foi transcrito da revista seleções). Eu gostaria agora de questionar-nos sobre o assunto acima transcrito. Será que nós também não estamos votando pelo fechamento da nossa igreja? Quando trocamos a Escola Dominical ou o culto por qualquer outra atividade, é isto que estamos fazendo. Quando somos indiferentes às programações da nossa igreja, é isso que estamos fazendo. Quando disseminamos a maledicência, a crítica e a fofoca, é isso que estamos fazendo. Quando desprezamos as nossas reuniões de oração sob o pretexto de falta de tempo, é isso que estamos fazendo. Quando menosprezamos o ensino da Palavra de Deus, é isso que estamos fazendo. Qual será a nossa reação diante de um assunto tão premente?

FECHEM-LHE AS PORTAS